Rayssa Leal, a jovem skatista que se tornou a ‘fadinha’ do Brasil

Apelidada desde criança de ‘Fadinha’, tudo parece acontecer magicamente para Rayssa Leal: aos 13 anos, ela ganhou a medalha de prata no torneio de skate street nesta segunda-feira, 26, nos Jogos Olímpicos de Tóquio e se tornou um símbolo nacional.

“Ainda não acredito, mas parece que foi grande o negócio. Saber que tinha muitas outras pessoas treinando há anos pra estar aqui, não só do skate, e ter conseguido levar uma medalha para o Brasil, é muito gratificante”, disse a adolescente nascida em Imperatriz (Maranhão) à TV Globo, após a prova que deu o ouro a japonesa Nomiki Nishiya.

Rayssa dá o que falar desde 2015, quando com apenas 7 anos conseguiu fazer um ‘heelflip’, uma das manobras mais difíceis com um skate, vestida da fada Sininho do Peter Pan. A manobra foi filmada e publicada na Internet, onde viralizou.

Esse vídeo, que gerou o apelido de ‘Fadinha’, foi visto pelo americano Tony Hawk, considerado o melhor skatista de todos os tempos, que decidiu “apadrinhá-la”. Desde então, seu crescimento não parou.

Por outro lado, os resultados de Tóquio marcam também uma decepção para o Brasil, que buscava ocupar o pódio inteiro com a jovem prodígio e suas amigas Pâmela Rosa e Letícia Bufoni. Mas precisou se contentar com a prata, já que o bronze foi levado pela jovem japonesa Funa Nekayama.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *